12 de agosto de 2017


Para Vida Toda

A música era alta, abafava os pensamentos aqui dentro, todos dançavam da forma que podia, o lugar aos poucos ficando cada vez mais apertado favorecia a possibilidades de choques efetivos entre partes que se atraem, e com você, não foi diferente.

Foi numa passada de olhos rápida que tu foste minha presa da noite, te quis e não havia ninguém que me impedisse, você ia ser meu e era isso que importava. Por mais de dois segundos você me quis, e isso era o bastante para que eu seguisse em frente com todo o plano.

Mas o meio não era favorável, impedidos pelas pessoas que nos cercavam nos limitávamos a pontuais trocas de olhares. O frio na barriga de principiante, o medo de algo dar errado, era uma sensação boa. Senti aquilo, me lembrou da quando era um garoto, começando a descobrir que podia habitar outros corpos. 

Música por música o tempo ia passando, vi minhas chances indo embora, quando  inesperadamente você chegou. De predador, eu virei presa, sem direito a resposta ou de negação, fiz calmaria num coração revolto. Um domador tornando posse de uma fera, movimentos calmos e controlados, aquilo era uma dança cujo ritmo se desconhece, mas que íamos pegando a manha e conhecendo o gingado um do outro.

Não sabia quando ia acabar, ou se poderia ter algo além daquela noite ou mesmo das portas dali, que seja enquanto durar, cada beijo o ultimo, uma despedida. Poderia não ser para a eternidade, mas que fosse bom enquanto durasse.

Tinha tudo para ser um dia qualquer, uma noite como qualquer outra, me sentindo  menino deslocado, de mente calada, mas gritando o mais alto que podia, encontrei você. Poderia não ser o mais bonito de todos muito menos o mais tentador para muitos, mas isso só importara a mim naquela hora, foi quem eu escolhi para mim, naquela noite, naquele lugar e que parecia mesmo, ser para vida toda.

POSTS SUGERIDOS