26 de agosto de 2017


Carta do Mundo de Fora

Ei, sei que você está aí. E não posso te ajudar sem que você me ajude. 

Te conheci por historias contadas, ouvi seus gritos, silenciosos, no meio da noite, e te notei algumas vezes que esteve aqui perto. Descobri sua existência, e isso não é um erro, vim aqui para dar voz a liberdade, te mostrar um mundo que pode ser mais bonito e maior que tudo que você já viveu. Mas primeiramente, preciso que seja verdadeiro consigo mesmo.


Créditos: Ordinary Young Man, Fernando Cobelo.

Eu sei que algo aí dentro pede por mais, e grita por algo. Fica claro no seu silencio. No fundo, de muito silencio, há algo a ser dito por uma mente que faz muito barulho. Você sabe mais que qualquer um, o que isso clama, sabe dar silencio a vozes interiores. Chega uma hora que de tanto guardar magoas, naufragamos em nos mesmos.

Não se esconda. Você pode ser mais forte que tudo. E sim há mais de você, em você, do que imagina, eu pude notar isso. O pouco de graça que existe aí, pode florescer e levar a primavera por aí, mundo afora, você só precisa acreditar. O inesperado guarda o belo da vida.

Créditos: Ordinary Young Man, Fernando Cobelo.

A vida te levou aos poucos tudo que tinha de bom, e você nem viu. Se preocupou tanto com os outros que esqueceu de si mesmo, e acredite, você não peca por isso. Só mostra que renuncia de tudo para fazer bem aos que ama e aos que importam. Soube sorrir mesmo quando sangrava por dentro. Soube ser forte, mesmo quando teve todos os motivos para desabar sobre os próprios joelhos.

Você tem sonhos, vontades, desejos e isso é o que te faz belo. Descubra-se meio a isso que você criou, e quando encontrar segure com toda a força que puder. Isso aí é o melhor de você e pode te levar para longe de tudo isso que te impede. Aí existe algo que te fará tão intenso e tão imenso, que o mundo parecerá pequeno. Esse não pode ser seu fim. 

Créditos: Ordinary Young Man, Fernando Cobelo.
Escolhemos a vida que levamos, você escolheu a sua, e isso te trouxe até aqui, hoje paga o preço por isso. Proclamamos fins às coisas que um dia tiveram começos, marcamos épocas de vidas alheias, escolhemos nossos sonhos, planejamos voos distantes e saltos rarefeitos na vida, tudo isso porque no primeiro respirar, fomos livres, e ainda somos.

Em cada um de nós, moram verdades que só nos conhecemos, fato que contamos, omitimos ou mentimos. Há realidades que calamos, algumas que damos vozes e outras tatuamos na pele. Verdades que deixam marcas porque pesam, e verdades que se vão, porque são leves e fogem pela boca. E que não deixam de ser nossas.

Créditos: Ordinary Young Man, Fernando Cobelo.
Somos donos da nossa liberdade, sempre fomos e por isso somos capazes. Na vida os que podem, são os que sabem e os que querem verdadeiramente. Você está aí, mas pode ir para onde quiser, ou ficar onde está, porque assim como damos forma à nossa armadura e força às nossas asas, sabemos exatamente como construir nossas próprias prisões.

Créditos: Ordinary Young Man, Fernando Cobelo.


POSTS SUGERIDOS