29 de setembro de 2016


O Lar das Crianças Peculiares - O Filme

Bem de novo teve sim pré estreia exclusiva, mas dessa vez não foi filme brasileiro não. Foi filme de ler e dos bons viu, foi a vez de O Lar das Crianças Peculiares, que na verdade é um orfanato, uma produção da Fox Filmes com direção de Tim Burton, e trilha sonora da Florence and The Machine.

O filme estreia  dia 29 de Setembro, na quinta feira, e conta com copias 3D e 2D, legendado (o de ler) e o dublado, sem ler.


A trama é cheia de mistério, isso começa logo nas primeira cenas quando o avo de Jake é assassinado de uma forma bem estranha e inesperada. E o que parecia um simples arrombamento seguido de uma homicídio vai mais além do que se imagina.

É buscando se livrar de "males" causados pela morte do avo Jake viaja para uma ilha no Pais de Gales, acompanhado do pai, buscando seguir pistas de seu avo e desvendar possíveis mistérios sobre a antiga vida misteriosa de seu avo. Envolvendo justamente um orfanato na ilha, e historias que ele ouvia do avô envolvendo o famoso lar para crianças peculiares.


Essas crianças são dotadas de poderes especiais, peculiaridades, e a trama envolve mistérios que Jake vai descobrindo aos poucos, inclusive certos perigo, e pense no foguete viu. É que tem uma galera do mal que tá solta ai no mundo atrás justamente de peculiares.

A ação no filme foi colocada de uma forma bem leve se comparado como outros filmes do gênero, mas a trama conta sim com muitas partes de "vai, corre!" e de "sai dai bicha jumenta". O filme também brinca com o lance de uma fenda temporal, e mistura terror de uma forma leve e fantasia de uma forma crível.

Claro a famigerada foto com o coiso do filme
A historia conta com umas coisas bem cabreiras, misturando um pouco de terror e suspense, mas sem abrir mão do humor e da aventura é claro. É como se fosse um Ex-Men misturado e Alice no Pais das Maravilhas, talvez por conta da Emma, a moça que flutua, que lembra a Alice naquele vestido.
Super recomendo o filme para se ver em família, num fim de semana, já que não é uma historia muito infantil mas também não é muito adulta. E sem contar que o filme conta com copias 2D e 3D, que deixa tudo mais massa. Super recomendo o filme pra quem gosta de fantasia, aventura e monstros.

CONTINUE LENDO ››

23 de setembro de 2016


Vou

O dia nasceu bonito, as nuvens no céu diziam que algo estava por vim, o mistério nelas era evidente. A mochila das aventuras está pronta, será se vai ser bom? Me pergunto, na esperança de que o convite venha carregado por algo maior.

Um refugio numa cidade distante das outras. Não ter leis, essa é a lei. A tirar pelo som da água caindo nas pedras a calmaria por aqui reina, a inercia no espelho d'água prova isso. É, parece que a paz e a calmaria chegaram a sua plenitude nessa curta porem grande viagem.


Reconectar-se, esse é o dever a ser cumprido. A água é gelada, diminui a cinética dos pensamentos, o sol alimenta o coração solar. A alma acalma e anseia por mais, e por sorte tem. O azul do céu me mostra a grandeza da vida, o quanto o viver pode ser grande, apesar de sermos tão pequenos frente a certas coisas. A vida está para alem da zona de conforto, e acredite é bem maior do que a gente imagina. Chega até a assustar. 

Aqui assim como antes, os bichos aqui provam da sua liberdade selvagem. Estou livre somente pelo fato de estar feliz, a mesma felicidade que me faz admirar tudo ao meu redor faz meu coração sair de mim e correr o curso do rio, estou livre, pelo simples fato de que a felicidade liberta. Do mal, daquilo que é ruim, te faz Victoria, te livra de si. Estou ausente de mim. 


É uma despedida, quem sabe será a ultima vez aqui. Estou acompanhado das melhores pessoas possíveis, tenho ao redor os sentimentos mais puros e verdadeiros. Me cerco somente do essencial. A hora de partir vai chegar, não tenho um pingo de pressa que isso aconteça, pelo contrario, quero aproveitar cada momento, cada dia, cada segundo, como se fosse o ultimo e o único. A contagem regressiva do sonho começou. Aquela ideia do garoto que sonhava em fazer coisas, por fim tomam forma a medida que o tempo passa e as coisas vão acontecendo. 

O sol se põe e aprecio as estrelas começarem a brilhar. Se me fosse concedido um pedido, hoje, agora, aqui, escolheria ser feliz, novamente. Pois assim, seria livre. A felicidade verdadeira é libertadora, felicidade que te leva alem, mesmo estando sentado no banco da estação esperando o metrô, te dá asas, te tira do chão. 


Apesar das coisas, de estar numa despedida, de ser perguntado para onde irei no feriado, quando eu não estarei mais aqui ou mesmo de ter que passar na recepção da pousada e entregar a chave do quarto vazio  estou feliz. E é por estar tão feliz, tão ausente de mim e tão feliz que eu simplesmente vou. Vou, pois além de feliz, eu sou um ser livre. 

CONTINUE LENDO ››

19 de setembro de 2016


Tô Ryca - O filme

Uns dias atrás fui para a pré estreia de Tô Ryca um filme da Paris Filmes juntamente com a Downtown Filmes mas que tem uma história e coisas bem brasileiras. Pude conferir em primeira mão o filme e olha, eu gostei muito do filme. Antes de mais nada o filme vai ser lançado no Brasil dia 22 de Setembro (Quinta-feira) nos cinemas do Brasil. 


O nome do filme já entrega bastante coisa da trama toda. A historia vai mostrar a vida de Selminha, interpretada pela Samantha Schmütz, sim a mesma atriz que faz a Jessica em Vai que Cola, e de Luane, sua melhor amiga, vivida por Katiuscia Canoro, as duas trabalham como frentistas e precisam pegar fila, ônibus lotado, dependem dos AuFai de graças nos lugares, como mais da metade da população brasileira. É, as duas são pobres. Lascadas! Que só por isso o filme já faz muito gente se identificar com a realidade delas.


Só tudo isso pode mudar quando Selminha descobre que pode herdar uma grande herança de família, mas para isso precisa vencer um desafio, gastar 30 milhões de reais em 30 dias, mas isso com algumas regras, Selminha não pode, contar para ninguém, na medida do possível, e nem adquirir nada, do mesmo jeito que ela entrou no desafio ela vai ter que sair, a menos claro que tenha vencido claro. Aí é quando Selminha de fato está RYCA! Justamente quando começa a baixaria do filme.

O humor do filme mora justamente nas cenas de uma pobretona curtindo a vida de rica e sem poupar os bons modos e sem deixar a miséria de nada, até porque dinheiro foi feito para gastar e a boca foi feita para comer. Bem doida.


O longa conta com partes de drama, e algumas criticas bem claras (que eu vou deixar no mistério) tudo isso sem abrir mão daquele humor bem Samantha Schmütz, que todos conhecem bem. Super recomendo para todos, geral vai se identificar Selminha e Luane e dar boas risadas com as loucuras que as duas vão aprontar em algumas poucas horas de filme.
CONTINUE LENDO ››

5 de setembro de 2016


Me livrei

Ter a vida dependente de medicamentos, uma alegria que se baseia no fato de estar em um relacionamento com alguém ou mesmo ter sua sanidade graças a antidepressivos é sufocante. Nossa vida vira função de algo, uma variável externa, seja ela qual for,que nos mostra que não estamos no total controle da nossa vida. Algo, que não deseja coisas boa, parece sempre estar rondando, só esperando sua hora chega. Percebo que as vezes somos fracos, por não conseguimos manter-se sozinhos, por ora chega a ser verdade, por ora só chega a ser uma maneira teimosa nossa de levar a vida.



Aqueles ataques súbitos de ansiedade nas noites, os pensamentos suicidas que entrava em conflito com o sentimento de apreço pelos que tem apreço por nos, foram cicatrizes do tempo, que carrego eternamente comigo. O "reerguer-se" mostra que o aprendizado foi maior que a dor, ainda que essa quase tenha nos consumido. "Quem sete vezes cai levanta oito" já dizia Tiago Iorc.

O amor não correspondido, que nos fazia ganhar as ruas da cidade em busca de algo que pudesse suprir a ausência da dopamina, até era suficiente, mas depois retornava voraz assim nos levando a fazer aquilo que nunca faríamos em hipótese alguma, mas fizemos. O tempo mostrou que não saímos perdendo nada, pelo contrario, nos safamos da roubada.

A inércia nos impulsiona na vida e seguimos até que os problemas e dificuldades ficam pra trás. Chega uma hora que sentimos falta do que nos deixou ou que deixamos nesse movimento, sem começo e fim bem definidos. Nos sentimos estranhos, parece que falta alguma coisa, mas na verdade nos só voltamos ao nosso estado normal. É, o normal as vezes estranha.


Uma faxina rotineira de quarto, que tem como unica pretensão a de colocar as coisas no lugar, notamos o que realmente deixamos para trás, daquilo que nos livramos, damos conta de o quanto estamos vivos apesar da ausência de certas coisas na vida. Inertes na vida paramos e observamos que esse mundão, dar voltas, e voltas, e logo o fato de termos nos livrado das coisas fica ainda mais nítido.

Por ora lembrar de tudo nos arranca gargalhadas, ou um simples sorriso de canto de boca, ao selecionar as conversar do WhatsApp que nasceram lá no Match do Tinder e com o tempo descobrimos com quem estávamos lidando, ou mesmo quado aquele "estou com saudade" depois que descobrimos quem era o traste que chamávamos de querido. Ontem eu sofria, hoje eu sou frio. Aquele otário de ontem assiste aqui você e seu lindo castelo desmoronarem.

A vida é boa quando percebemos que, somente o fato de estarmos vivo, já nos alegra. Sentir-se feliz ainda que na ausência de antidepressivos, estando longe daquela pessoa que tínhamos apreço e que o tempo fez o favor de levar pra longe ou mesmo depois da prova que comeu nosso juízo, e ainda que tenhamos papocado, estamos leves por que a gente se livrou.


Os dias de cão acabaram. Recordar que passamos pelo que passamos, e permanecemos vivos, apesar dos pesares. Por fim deito na cama cansado, o quarto por fim arrumado, as memorias boas guardadas numa caixa na estante, os curativos e suprimentos de brigas passadas, junto daquilo que não nos faz mais bem, num saco de lixo, esperando para em fim ser levado para bem longe. 

Chega horas na vida que precisamos nos livrar do excesso de bagagem, daqueles volumes desnecessários, que não há motivos que justifique aquilo. Livre-se do que faz mal, deixa ir quem não te deu valor, coloque as coisas no seu lugar, faça o que você gosta de fazer e o que faz mal, livre-se e mesmo que se sinta estranho, perceba esse é você, essa é sua vida. E se olhar que seja para ver como a mudança é evidente e poder dizer: me livrei.


CONTINUE LENDO ››

POSTS SUGERIDOS