22 de maio de 2016


Victoria

Victoria, soube do acontecido por intermédio de um amigo. Queria conhece-la melhor para ter uma noção do que dizer, mas te conheço pouco, apesar disso, o que posso dizer é que ainda que doa, se deixa sentir, passa mais rápido quando pensamos constantemente que quando ficamos tentando não lembrar ou negando o sentimento.

Eu imagino a frustração que deve estar sentindo, aqueles planos que fazemos, mesmo que só fiquem na cabeça, toda a vida que planejamos ter do lado da pessoa, passando toda hora varias vezes na mente, é angustiante. 

Por ora ficamos perdidos, e tentando nos encontrar para redescobrirmos quem somos, ou tornar a ser quem éramos. Isso é difícil, até mais por que nos perdemos as vezes só por ter encontrado alguém, apesar de não intencional é um erro que nos custa caro. 

Créditos: Pixabay
A saudade pode ser grande, o orgulho ainda maior, mas quando o bicho pegar diga, fale o que te machuca, se deixe deixar o sentimento ruim. Isso não é se humilhar nem tentar tornar atrás do que foi feito isso é sinceridade é verdade consigo mesma. Se livre daquilo que lhe machuca, daquilo que te tira o sono a noite. 

As vezes precisamos nos perder para então nos encontrarmos, e digo isso por experiência própria, que quando nos encontramos em meio a bagunça dos pensamentos, das angustias, das crises de ansiedade e das músicas da bad, vemos uma versão melhor de nós mesmos, mais fortes, mais belos e mais importante, livres. Que por ora chega a nos assustar.

Créditos: Pixabay
Veja a você mesma, com todos defeitos e qualidades. Essa é você. Victoria, o nome diz tudo. Essa batalha e o caminho a frente são seus, o seu futuro depende só de você e mais ninguém. Te pertence enquanto você viver. Chora! Chora porque assim você coloca para fora aquilo que te faz mal, e lembre- se não há nada de errado em chorar, há erros ao sentir e negar um sentimento. Isso não te faz fraca ou tola garota, te faz humana. 

Você pode não notar, mas a maior riqueza que temos não e dinheiro, beleza ou luxo, são nossos amigos, aqueles que estão do seu lado independente de como ou com quem você esteja. Dificilmente se encontre um amor tão sincero e que não requer nada em troca. Mesmo que essa coisa tenha te roubado o ânimo para tudo, faça as coisas por eles, por aqueles Tcholas que tanto te querem bem e querem te ver andando por aí sorrindo e rindo dessa história toda. 

Créditos: Pixabay
Apesar dos (d)anos a vida segue e levamos as cicatrizes de conflitos passados para a vida, a dor com o tempo se transforma em aprendizado, ela vira sua armadura de batalha e você, sem perceber, faz-se uma guerreira e ainda que queiram, não conseguirão te machucar novamente. Pois essa é você: forte, guerreira, amiga, garota...


Victoria
CONTINUE LENDO ››

17 de maio de 2016


Motivos para assinar (ou não) Spotify


Como disse uns posts atrás, e algum devem saber, sou amante da música, e não consigo passar um dia se quer sem cantarolar ou mesmo assobiar uma melodia de alguma hit aleatório que me vem à cabeça. Pouco tempo atrás conheci o Spotify e hoje ele se tornou uma verdadeira paixão. Por isso trouxe um post listando motivos para assinar ou não Spotify.


Lançado no Brasil há pouco mais que dois anos, o Spotify, um serviço de streaming de música tem dado o que falar ultimamente, por ter ido além de um serviço comum on e offline, sendo considerado por alguns usuários como uma rede social de música, o que faz certo sentido, mas isso vou explicar mais lá na frente.

A última novidade da empresa, a versão Beta do app, traz benefícios para quem não possui é assinante Premium, o app permite que o usuário ouça qualquer música do acervo em qualquer lugar, com a restrição que ele esteja online. Mas diferente do usuário Premium a aplicação não permite o uso Off-Line de músicas. Sem muita lenga lenga, vamo logo ao que interessa.

Poupa bastante tempo

Quem nunca ficou horas a fio procurando um bom site para baixar músicas e quando finalmente achou o arquivo era fruto de uma conversão ordinária do clip do YouTube, ou para baixa a música você precisaria se cadastrar em infinitos sites. No Spotify essa dor de cabeça vai embora, para quem é Premium em dois cliques você já tem a música para escutar off-line. Esse é um dos motivos que mais gosto no serviço, a praticidade, já que mal paro em casa e não tenho todo tempo do mundo para procurar musica por música para baixar. E aquilo que dizem, que tempo é dinheiro, é verdade. Um dia vocês saberão.

Credito: Pixabay

Sem esquecer da qualidade do serviço, que é um ponto chave, boa parte do acervo é em qualidade extrema, te livra dos estresses de baixar empolgado a música e quando vai ouvi-la é uma versão acelerada do hit, com fim de passar despercebido pelo pente fino de pirataria dos sites.

Livre de vírus e malwares

Credito: Pixabay

Muitos amigos meus assinantes Premium, já manjaram de perder dados do celular, por visitar um desses sites de baixar música e receber de presente um .trojan. Isso fez com eles aderissem ao Spotify, já que o serviço é isento de vírus e malwares, isso vale pra todos usuários. Assim você pode performar Crazy in Love tranquilamente sem se preocupar com a moça do Avast te interrompendo para avisar que "Uma ameaça foi detectada".

Você fica atualizado das novidades


O serviço deixa a serventia do usuário, seja ele Premium ou não, uma playlist e mecanismos que mostram os hits do momento seja no Brasil ou no mundo, atualizados pelo pessoal da empresa com certa regularidade. Mas a playlist principal titulada como "Novidades da semana" onde se contam os lançamentos dos artistas, seja ele como for, traz os últimos hits em primeira mão. Dessa forma você não tem motivos pra dizer "ainda não ouvi" quando perguntarem se você já ouviu aquela parceria babado da Rihanna com o Calvin Harris, Confesso que muitas vezes nessa playlist fiquei por dentro de lançamentos e quando eles chegavam nas rádios eu já estava com ranço da música de tanto ouvi-la, o que é bem comum com o serviço.

É para todos os gostos

Lá no Spotify tem uma porrada de playlist., com músicas dos mais variados estilos ritmos e idiomas, tem aquele Hit do Alemão Cro, aquela do "opagangaistai" do Koreano, tem aquele louvor que sua mãe canta toda hora, aquele forro que sua irmã escuta e canta e que não para de tocar no rádio ou mesmo aquele Reggae que seu amigo sempre fala. O serviço é para todos os gostos e públicos, inclusive o infantil. O acervo deles é tão grande que no começo você acha que não tem aquela música legal pra deitar na grama e ler um livro ou pegar a Via Light num feriadão rumo a Cabo Frio num dia lindo de verão, mas o serviço facilita tudo e coloca as músicas parecidas em uma setlist. que é só colocar pra tocar e curtir a vibe sussa. Aos poucos você começa a entender o serviço e obtém facilmente aquele tipo que você quer.

Credito: Pixabay
Economia

Mas Cristyam R$14,99 é caro demais!!! Eu te provo que você economiza. Um CD numa loja custa em média uns R$29,90 e você gosta bastante de música, suponha que há pelo menos dois CDs novos nas prateleiras a cada dos meses. Fazendo as contas a cada quatro meses você gasta R$120,00 por quatro CDs enquanto você pode ter os quatro pagando pela metade do preço com o Spotify, e ainda ter acesso a mais conteúdos de outros artistas sem acréscimo no valor da assinatura, sem contar que você pode tê-los em vários dispositivos. Ah e ressaltando que você pode até comprar o CD mas dificilmente vai achar onde toca-lo aos poucos o CD, evolução do analógico para o digital, está ficando obsoleto na era da computação em nuvem.

Memória do celular

Credito: Pixabay

Esse caso é pontual e acontece somente com os dispositivos moveis. É o que mais me atormenta atualmente. Ser assinante permite uso do serviço em off-line, até aí tudo bem, mas a coisa se complica quando temos também um gosto por música ou somos snapchaters, e salvamos todos os closes que tiramos no aplicativo. O celular fica com aquele aviso de "Memória cheia", que deixa aqueles que gostam da barra de notificação limpa, como eu, louco do juízo. Mas o app usa um tipo de compactação de arquivo que otimiza a memória disponível colocando mais músicas possíveis em um menor espaço, o que não acontece com aquele .MP4 de alta qualidade.

Você pode salvar aquela privê sem graça

Credito: Pixabay

Quem é Premium e tem o celular lotado de playlists baixadas, pode ganhar uma capa e o título de Herói das Festas. Já tirei todo mundo do celular em uma festa na casa de um amigo com o simples fato de ligar meu celular no som e mandar a ver nas músicas. A fusão de uma variedade de músicas, playlists e um bom gosto musical com um toque de criatividade é certo para você ser o dono daquele "CD bacana" que tá tocando na festa do seu amigo.

Não tem Rouge nem Companhia do Calypso 


Como diz meu amigo Nickolas - inclusive um abarco, meu gostoso - isso é muito tupiniquim pra ter no Spotify, mas esse motivo deve-se ao fato de ou os artistas ou as gravadoras não disponibilizarem suas músicas no serviço. Não cabe ao Spotify possuir ou não determinado hit ou artista.  

Conteúdo exclusivo


O Spotify convida os artistas, para gravarem conteúdos exclusivos. São como shows acústicos, onde o artista canta seus sucessos e tal, a diferença é que só o Spotify possui esse conteúdo o chamado Spotify Sessions. Recentemente Olly Murs gravou o seu e a Demi Lovato gravou o seu, assim que lançou seu último CD. Isso também acontece do avesso, muito conteúdo alheio não tá no acervo do serviço, mas deve ser coisa parecida com o motivo anterior, ou questões de direitos autorais e exclusividade do conteúdo, como no caso do Spotify.


Tem algum motivo especial para ser usuário do Spotify, conta para a gente aqui nos comentários. Agradeço se não me deixarem no vácuo desde já. kkkkkkkk

Gostou do post? Compartilha para os seus amigos. Um xero, uma abraço e até o próximo post.



CONTINUE LENDO ››

8 de maio de 2016


II Seminário PRALER - Eu fui!


Fala galera! Sou o Cristyam Otaviano... Quem lembra disso vai saber do que eu estou falando. Essa saudação eu dizia no início dos meus vídeos, da época - remota - em que gravava vídeos para o YouTube, um canal literário que teve seus 100 inscritos e que acabei colocando na Caixa das Memórias, mas esse não é o foco da conversa de hoje. Uns dias atrás recebi um convite por email para participar do II Seminário PRALER-UFC A Arte da Escrita, confesso que fui pego de surpresa, e por gostar desse assunto dei um jeitinho na agenda aqui e consegui comparecer ao evento, que foi realizado em dois dias diferentes.


Mas Cristyam, você falou desse tal de PRALER, que diabéisso? O PRALER-UFC é um projeto criado, majoritariamente, pelo pessoal da Faculdade de Educação (FACEDE), juntamente com outras pessoas da universidade cuja ideia eu achei incrível diga-se de passagem. O projeto tem como objetivo desenvolver habilidades de escrita, de leitura e expressão corporal, coisas essenciais para as práticas futuras pedagógicas, importante para futuros professores ou profissionais que trabalhem com comunicação seja ela em todos os tipos. Apesar de ser promovido pela FACEDE-UFC o projeto é aberto a toda comunidade acadêmica. O projeto conta com uma metodologia de oficinas, seminários, festivais de leitura e concursos literários. Esse seminário foi o segundo de uma série de três, tratando de Escrita, Leitura e Expressão corporal e oral.

Da esquerda para direita Tania, Suene e Atilio

O evento foi realizado em dois dias, na quarta (4) e quinta (5), e contou com presença do prof. Atilio Bergamini doutor em letras, Suene Honorato doutora em teoria e história literária, apaixonada por poesia, e da Tania Batista doutora em educação, todos professores da UFC. E teve presença do Leandro e da Julia alunos da universidade e bolsistas do projeto, também marcou presença o escritor cordelista e também aluno da Educação Paiva Neves que tem um projeto, junto a outros autores, de uso de cordéis nas escolas para fins de alfabetização.

Da esquerda para direita Paiva, Tania, Julia e Leandro

Aprendi bastante coisa com todo mundo lá no evento. Começando pelo Paiva que disse que a poesia popular, como o cordel é classificado, é como uma arvore que tem cinco raízes, são elas:

  • Embolada, presente no litoral
  • Aboio, usada por vaqueiros para encantar o gado, o nome já sugere isso
  • Matuta, a poesia declamada como fazia o mestre Patativa do Assaré
  • Repente, poesia cantada
  • Cordel, que é escrito

Seguindo veio o seminário propriamente dito, onde foi discutido a questão de A leitura é uma arte? Onde debateu-se questões de o leitor como artista como uma figura singular, dotado do dom de ler e interpretar, aquele que produz o sentido do que interpreta, e o fato de a leitura ser um artifício, para produzir uma futura técnica, tornando o leitor um artesão. Não vou entrar em muitos detalhes, até porque teve coisas que até para mim, que estava presente, ficaram um pouco confusas. Mas no geral aprendi bastante.

Da direita para esquerda Atilio, Suene e eu ( :

No segundo dia trabalhamos com uma oficina de poesia e inclusive estudamos um pouco o gênero, com direito a produção e declamação no nosso próprio sarau. Nesse dia teve nosso singelo coffe break e direito a presença da TV UFC e tudo, inclusive dei até entrevista - tá querido - por ser um aluno do Centro de Ciências, que cursa química, lá num evento na FACEDE onde o público que predomina é o das letras e da pedagogia. A matéria não saiu mas quando sair coloco aqui para vocês. ahhahaha

Para quem gostou da ideia do grupo e se interessar em participar as reuniões do PRALER-2016.1 vão acontecer nos dias 11/05/2016, 11/05/2016, 29/06/2016 todas no horário das 17:00hrs na Sala 7 da FACEDE- UFC, fica no segundo corredor virando a direita assim que entra no prédio. Mais informações você podem estar entrando em contato com o pessoal do projeto pelo email: projeti.pralerufc@hotmail.com ou na página do Facebook: Projeto PRALER-UFC

CONTINUE LENDO ››

2 de maio de 2016


Permita-se


Quem de nós nunca deixou de sair com os colegas por julgar o lugar da saída ser sem graça ou o convite sem nem se quer ter visitado ou feito algo do tipo, ou mesmo bancou o insuportável por conta de preconceitos, sem fundamentos, com as coisas, ou negou um sentimento ruim, até quando conhecemos o poder benéfico da bad? 

Sim, aquela famosa bad, apesar de ruim, é algo construtivo para a gente - mas isso é assunto para outros textos. Os certinhos que me desculpem mas a vida não nos foi dada para ser levada com tanto rigor e tão a serio. Quem quer chegar nos seus 80 anos caquéticos vivendo um verdadeiro Epitáfio dos Titãs, que devia isso e aquilo mais? Eu não. Talvez isso se deva ao meu jeito, mas eu sempre não dou tanta importância pras coisas quando as outras pessoas estão a pleno nervos nas vésperas da prova de Geral. Fico tomado por uma angustia sem precedentes quando mantenho aquela mesma rotina dia após dia ou quando caio na monotonia.

Why so serious?

A gente precisa se deixar levar, sim pra onde a vida quiser, como já disse Skank. Creio que a frase que sintetiza esse texto é "Pra tudo, há sempre uma primeira vez", cara, para desse mimimi. Se deixa dançar aquele funk bem proibidão, mesmo que seja de uma forma mais sem noção que se imagina, vai ver você arrebenta tanto que consegue fazer amigos numa festa mais facilmente que fingindo ser mais um certinho que odeia funk como no censo-comun. Para de concordar com todo mundo quando dizem que "a culpa é da Dilma e do PT" e vê o outro lado da coisa. Quando não houve corrupção e roubo nesse país?  Podem me julgar mas considero que eles estão na hora errada no lugar errado uma vez diferente de tempos passados, só esta sendo descoberto os roubos e vindo a tona tudo isso, mas muitos se negam a aceitar gestões e lideres passados não roubaram. Fala serio né!

Dia desses faltei aula porque queria dormir, coisa que já cansei de fazer, contudo não fazia há tempos. Deixo claro que não sou um moço direito, um pouco torto pra direita. Alguns certinhos me julgariam eternamente por isso. Uma pouco de instabilidade ou frio na barriga cai bem as vezes, com certa cautela. Mais importante que se deixar viver ou provar as coisas, é saber arcar com possíveis consequências que isso pode lhe trazer e ter maturidade suficiente para lidar com isso. 

Se permitir, não diz somente e a coisas loucas, mas sim a coisas novas. Se deixar não necessariamente é um salto de paraquedas, pode ser simplesmente uma viagem sem pretensões pra um lugar inesperado ou mesmo ir em um restaurante que você diz odiar o tipo de comida, sem mesmo nunca ter provado. Como aquele discurso dos nossos pais na hora do almoço.


Levanta já essa bunda ai do sofá, deixa essa Netflix de lado só por uma semana e vá ver a vida lá fora. Pegar novos ares, se proporcionar momentos bons, buscar bons fluidos, sem compromisso nenhum é claro. A vida é muito curta pra ser levada a sério. Sorria mais. Deixa de lado as frescuras os mimimis e larga de ser esse chato que tem uma opinião formada sobre tudo, seja por uma noite, algumas horas ou mesmo para vida toda. Soa bem radical,não? Mas para começar é bem simples:

Se chover, ainda que não queiras. Se deixa molhar. Permita-se
CONTINUE LENDO ››

POSTS SUGERIDOS