24 de abril de 2016


1º Bate-Papo Digital Influencer - Eu Fui!

Quem me conhece sabe que eu não abro mão de sair pra um lugar e lá conhecer pessoas novas e fazer amizades. As vezes nem gosto tanto do programa mas saio mesmo assim pelo simples fato de conhecer pessoas novas no lugar entrar em contato com pensamentos e opiniões diferentes e coisa e tal.

Pois bem. Há algum tempo tinha sido marcado um encontro de blogueiros no Shopping Via Sul, até aí tudo bem. Alguns blogueiros marcaram presença no evento começaram a trocar ideias antes mesmo do evento propriamente dito. Mas a coisa toda ganhou uma proporção inesperadas, que ninguém esperava. Uma vez quem tava encabeçando tudo, a Maria Clara do blogdaclara, recebeu a noticia que o shopping ia oferecer toda uma estrutura e um aparato pro evento com direito a palco, brindes e banners pra deixar a coisa toda bem bonita.

Muitos estavam ansiosos por esse dia que então chegou. 23 de Abril. Teve toda aquela troca de dicas pré encontro para saber da roupa do que usar e mesmo de como chegar no shopping, e aquela ansiedade toda como na maioria de eventos importantes, que tanto aguardamos e que ficamos aquele frio na barriga quando se aproxima.


Da direita pra esquerda Larissa do Penteadeiraamarela, Clara do blogdaclara e Maria Clara do CabelosPoderosos e a Nicolly do Mundo Feminice. Foto: Walyson Lira 

As dicas e conselhos das meninas foram super bacanas, e valem ouro já que não é sempre que podemos receber e ter dicas de blogueiras que já estão a mais tempo na estrada e já enfrentaram mil e um desafios que iniciantes, como eu, ainda terão pela frente. 

As meninas são super simpáticas e bem brincalhonas, diferente de estereótipos de blogueiras seria e certinha que muitos tem. No encontro descobri que as vezes é necessário encontro de bloggers do outro lado da cidade pra unir vizinhos de bairro como eu e a Bruna Larissy ou mesmo dois sem juízo como eu e a Nicolly do Mundo Feminice, que não temos sorte com sorteios que o diga a Priscilla e que muitas vezes nosso crush é namorado do nosso melhor amigo (eu ainda quero saber mais dessa historia) ahahaha.
 
As meninas, gatonas, e eu ( :
CONTINUE LENDO ››

10 de abril de 2016


Os donos da chuva

Sabe aqueles dias em que você só quer ficar deitado no seu quarto, em posição fetal, no escuro e escutando o CD da Lana Del Rey de trás pra frente?! Nesse dia eu estava bem assim. Em tempos assim as coisas perdem a graça, seus amigos não existem, até o passatempo mais animador e agradável perde a graça, resumindo, tudo fica preto e branco. Eu sentia que naquele dia, não só eu, mas o mundo, o intangível, estava triste. Éramos um só.

Eu estava preparando a pauta para o vídeo que breve eu iria gravar. Tinha que fazer aquilo naquele momento. Quando me chamam na porta. Eram meus amigos me convidando para sair. No início eu resisti, mas aos 45 minutos do segundo tempo eu cedi e os acompanhei. Foi tudo na mesmice, fomos na casa da amiga, comemos pastéis. Até que algo inesperado aconteceu, choveu.

O mundo chorava naquele momento, e todos com medo das lágrimas refugiavam-se sobre seus devidos tetos. Mal sabem os medrosos o quanto alegram essas lágrimas apesar de serem provenientes de tristeza.

Paro um pouco para pensar quantas lágrimas são necessárias para encher um mar. Quantas eu não sei, mas com certeza não caberiam nos dedos das mãos. A chuva, corajosa, caí intrépida. Ouço em cada som de cada gota que se desfaz no chão, um convite pra me banhar sobre elas.

Uma foto publicada por Cristyam Otaviano (@cristyamotaviano) em


Sou fraco, não resisto. Convido meus amigos a me acompanharem nessa aventura, é em vão. Me desligo do mundo, me livro do celular e do conteúdo dos meus bolsos. Estou pronto para ser alegre na triste chuva. "Serei eu" penso ao me jogar na frente das lágrimas. Mais que a pele, elas me limpam a alma. A medida que me molho, vou ficando livre das más energias. Vou sendo transformado, logo sou outro.

Recordo-me de quando eu era criança, quando me deitava no sofá e ao acordar estava na cama. Quando existiam invernos de verdade. Época que aos primeiros chamar das primeiras lágrimas eu já estava me despindo das roupas comuns e buscando entre as roupas sujas as mais vagabundas para poder me jogar na lama. Se o mundo chorasse milhares de vezes eu me alegraria milhares de vezes em suas lágrimas. Hoje o mundo pouco chora, deve ter se cansado, ou de tanto chorar chegou no seu limite, desistiu de si mesmo.


A chuva não parava e não poderia ficar melhor. Os flashes celestes davam um brilho extra para o derramar de lágrimas. Foi então que os amigos medrosos, os mesmos que me tiraram de casa, perceberam que já estava na hora de voltar para seus ninhos, porem a chuva lá fora não dava trégua. Só restou atirar-se nela. Embalamos tudo em sacolas plásticas e saímos na rua, deserta, somente pranto. Nos sentíamos verdadeiras crianças. Estávamos na chuva, na mira dos pingos.

O caminho não era tão longo e não fazíamos a mínima questão de ter pressa. A medida que percorríamos as ruas tornávamos, por conta de nossos gritos de alegria, vítima dos olhares dos medrosos enclausurados. Burros. Danem-se eles. Pensar que horas, minutos, atrás eu era um suicida. Um louco, completo lunático. Pensar que eu nem queria sair de casa.

A chuva uma hora iria parar e eu sabia disso, a final aí já não seria mais chuva, seria um pranto sem fim, um diluvio, ódio do mundo por nós.

Mas enquanto estivéssemos ali, não importavam os raios, a sujeira da água, a demora em chegar em casa ou mesmo o resfriado que viria depois, éramos crianças e acima de tudo éramos os donos da chuva.
CONTINUE LENDO ››

3 de abril de 2016


Um "Oi" ( :

Mais um blog Cris? Sim mais um.

Bem, meu nome é Cristyam, mas alguns preferem me chamar de Cris, outros mais antigos me conhecem por David. Tenho 19, um teenager até novembro. Atualmente curso Química na Universidade Federal do Ceará, sou de exatas, mas tem aquele 1% de humanas que ama jornalismo. Conhecidíssimo nas noites de París. Inclusive ainda quero cursar o ultimo algum dia.

Para os que me conhecem, sim estou resolvendo recomeçar do zero. Resolvi pegar a experiência do blog antigo objetodeliberdade.blogspot.com (em breve os textos de lá estarão aqui), onde eu escrevia textos mais pro lado literário da coisa, e usa-la em um blog novo. Me sentia muito limitado no blog antigo, visto que as vezes queria falar sobre algo mais interessante ou mais casual, mas eu o via como um blog desse tipo, uma coisa mais séria - comigo? Inclusive esse foi um dos principais motivos que me fizeram criar um blog novo. 

Recepção dos calouros de 2016
Eram pra eles estarem pintados né, mas tudo bem.

Até então não tenho um assunto X que focarei aqui no blog. Sim, aparecerão textos como os do blog antigo pois esses são os que eu mais gosto de fazer <3. Meu foco aqui é trocar uma ideia com a galera, falar o que eu penso da vida e também escutar o que vocês pensam, e falar das coisas que a gente descobre por ai na cidade ou mesmo pela internet. 

Quanto a mim, apaixonado por química, literatura e apreciador do mundo do jornalismo. Amante de música boa, seja qual for, amo Spotify. Gosto de escrever - claro né se não, num fazia um blog - e de aprender, seja o que for e como for, adoro ler, mesmo não tendo muito tempo de fazê-lo. Aprecio boas aventuras e os Dias Incríveis (em breve texto). Não gosto de futebol. Consumista maluco e festivo dos 45 do segundo tempo - aquele que diz que não vai e horas antes decide ir. 

Ah, sem esquecer, o nome do blog não foi tirado do saco. Amo viver a vida, seja ela nos tempos bons ou nos tempos ruins, vivo sendo mola nessa coisa toda. Vou vivendo, e tudo que vi e vou vendo por aí e que acho relevante - ou não - compartilho com vocês.

Não garanto satisfação total, muito menos seu dinheiro de volta. Mas vamos lá tocar isso e ver onde isso vai dar. Conto com a ajuda de vocês.

Abraços

CONTINUE LENDO ››

POSTS SUGERIDOS