20 de novembro de 2016


Azul

Escolher é um caminho entre milhões de outros, infelizmente sem volta. É uma bifurcação que no futuro vai levar a outra bifurcação, e outra, e mais outra, e no meio do caminho vai te fazer pensar: E se eu tivesse optado pela outra estrada?



Mas como chegamos aqui? Muitos podem se perguntar o que lhes trouxe até aqui, para esse lugar, nesse exato momento, alguns podem ter em mente a resposta clara. Eu vi para a ocasião né! Mas não, o que nos trouxe até aqui, ao hoje, ao agora, não só eu, mas todos aqui. Foram exatamente nossas escolhas. Isso não se resume ao agora, uma coisa pontual num fim de tarde, isso vai bem mais além. As vezes não notamos a grandeza da coisa, mas nossa vida, nós, somos feitos de escolhas. 

Escolhas simples que tomamos todos dias dizem algo sobre nossa personalidade desde a musica que ouvimos, a roupa que  vestimos ou mesmo comer carne ou frango no almoço. Coisas simples que fazemos de forma quase automática e que dificilmente paramos para notar. Até a escolha mais radical que pode mudar o rumo das nossas vidas de uma forma inacreditável.


Mas quando começamos a escolher? Será que a gente precisa voltar lá para a pré historia e buscar toda ciência pra tratar de algo tão simples e tão óbvio? Se optarem por isso, boa sorte. Mas nos começamos a escolher quando nos entendíamos por gente, lá na infância, isso a infância. Quando dentre muitas as brincadeiras escolhíamos aquele que mais desse vontade ou mesmo, para quem teve o prazer, escolher qual desenhos iríamos assistir naquela manhã, e eram tantos. 

E foi assim, escolha após escolha que nosso "eu", que nos conhecemos, começou a ganhar forma, a escolha por ser pai, por ser professor, reitor, do administrativo ou mesmo da cozinha. Esse é você, suas escolhas te trouxeram até aqui. E isso aqui, tudo isso, é resultado de uma escolha que tomamos anos atrás. O pensamento de desistir chegou sim a ser recorrente, mas optamos por continuar. Uns perceberam que não haviam feito a escolha mais certa, outros escolheram pela sanidade mental, por aproveitar outras oportunidades mas nós, todos nós  optamos por ficar e aguentar mais um pouco. E aqui estamos.


Não devemos compaixão por quem escolheu desistir ou escolheu por não ficar, devemos respeitar e aprender com essas pessoas, desistir é quase que um ato sagrado, é aceitar a própria humanidade. Só escolhemos desistir porque antes optamos por tentar, e por isso já somos vitoriosos.

Optar pelo sim ou não parece ser uma coisa bem simples. É sim ou não. Mas não é, alguns momentos o não é claro em outros o sim é a única resposta, mas a vida fica emocionante justamente quando habitamos o lugar entre os dois. Ficar ou partir. Desistir ou se dá uma próxima chance de tentar tudo de novo? É, fica empolgante quando temos a tarefa de escolher entre esperar um próximo ou embarcar em um ônibus lotado, ou mesmo por uma vida estável e calma ou uma estável e incerta aventura em busca de um sonho.

Isso é o que escolhemos, isso é quem somos. Tudo que acontece aqui hoje e o que vai acontecer daqui pra frente é resposta a alguma escolha que tomamos. Seja o simples ou o complexo, o certo ou o errado, tentar ou desistir, verdadeiro ou falso ou mesmo ir pra aula ou ficar dormindo. Somos livres para fazer escolhas e por isso reféns das consequências.


O mundo é grande, a vida não acaba aqui, acredite que ainda dá tempo para fazer algo novo, algo maior que você, maior até mesmo que tudo que você pensou um dia. Só levamos para  a vida e aquilo que escolhemos, nossas escolhas cabem somente a nos. O passado e nós, fomos feitos ao longo de varias delas mas você pode escolher seu futuro, sempre pôde, pena que não se atentou a isso. Mas e aí, agora, o que você escolhe?

POSTS SUGERIDOS