2 de maio de 2016


Permita-se


Quem de nós nunca deixou de sair com os colegas por julgar o lugar da saída ser sem graça ou o convite sem nem se quer ter visitado ou feito algo do tipo, ou mesmo bancou o insuportável por conta de preconceitos, sem fundamentos, com as coisas, ou negou um sentimento ruim, até quando conhecemos o poder benéfico da bad? 

Sim, aquela famosa bad, apesar de ruim, é algo construtivo para a gente - mas isso é assunto para outros textos. Os certinhos que me desculpem mas a vida não nos foi dada para ser levada com tanto rigor e tão a serio. Quem quer chegar nos seus 80 anos caquéticos vivendo um verdadeiro Epitáfio dos Titãs, que devia isso e aquilo mais? Eu não. Talvez isso se deva ao meu jeito, mas eu sempre não dou tanta importância pras coisas quando as outras pessoas estão a pleno nervos nas vésperas da prova de Geral. Fico tomado por uma angustia sem precedentes quando mantenho aquela mesma rotina dia após dia ou quando caio na monotonia.

Why so serious?

A gente precisa se deixar levar, sim pra onde a vida quiser, como já disse Skank. Creio que a frase que sintetiza esse texto é "Pra tudo, há sempre uma primeira vez", cara, para desse mimimi. Se deixa dançar aquele funk bem proibidão, mesmo que seja de uma forma mais sem noção que se imagina, vai ver você arrebenta tanto que consegue fazer amigos numa festa mais facilmente que fingindo ser mais um certinho que odeia funk como no censo-comun. Para de concordar com todo mundo quando dizem que "a culpa é da Dilma e do PT" e vê o outro lado da coisa. Quando não houve corrupção e roubo nesse país?  Podem me julgar mas considero que eles estão na hora errada no lugar errado uma vez diferente de tempos passados, só esta sendo descoberto os roubos e vindo a tona tudo isso, mas muitos se negam a aceitar gestões e lideres passados não roubaram. Fala serio né!

Dia desses faltei aula porque queria dormir, coisa que já cansei de fazer, contudo não fazia há tempos. Deixo claro que não sou um moço direito, um pouco torto pra direita. Alguns certinhos me julgariam eternamente por isso. Uma pouco de instabilidade ou frio na barriga cai bem as vezes, com certa cautela. Mais importante que se deixar viver ou provar as coisas, é saber arcar com possíveis consequências que isso pode lhe trazer e ter maturidade suficiente para lidar com isso. 

Se permitir, não diz somente e a coisas loucas, mas sim a coisas novas. Se deixar não necessariamente é um salto de paraquedas, pode ser simplesmente uma viagem sem pretensões pra um lugar inesperado ou mesmo ir em um restaurante que você diz odiar o tipo de comida, sem mesmo nunca ter provado. Como aquele discurso dos nossos pais na hora do almoço.


Levanta já essa bunda ai do sofá, deixa essa Netflix de lado só por uma semana e vá ver a vida lá fora. Pegar novos ares, se proporcionar momentos bons, buscar bons fluidos, sem compromisso nenhum é claro. A vida é muito curta pra ser levada a sério. Sorria mais. Deixa de lado as frescuras os mimimis e larga de ser esse chato que tem uma opinião formada sobre tudo, seja por uma noite, algumas horas ou mesmo para vida toda. Soa bem radical,não? Mas para começar é bem simples:

Se chover, ainda que não queiras. Se deixa molhar. Permita-se

POSTS SUGERIDOS