3 de abril de 2017


ViVendo: Um Ano!

Um post é pouco para descrever tudo que aconteceu e minha felicidade até chegar aqui.
Um ano, e a terra voltou para onde estava 365 dias atrás, pensando bem, não saímos do lugar. A gente fez uma volta toda no sol. Foi muito tempo, mas passou voando, nem parece que foi um ano. E porra, muita coisa mudou de lá para cá.


O ViVendo surgiu das cinzas de um blog antigo, o Objeto de Liberdade, que eu mantinha com textos autorais mas as traças e cupins destruiriam. E também um Cristyam antigo. Do velho, fez-se novo. Muita coisa foi importada de conteúdo. Foram 25 textos que deram oxigênio aos outros 50 que vieram em seguida. Do início, até hoje foram cinquenta posts, passeando entre resenhas de filmes, eventos, dicas, motivos, informação e claro os textos de feeling (sentimento) que eu não podia esquecer.
Muita coisa mudou de um ano para cá. A começar por mim, que comecei esse blog na incerteza se as coisas dariam certo ou não e hoje não consigo prever uma data de validade ou um fim para isso tudo. Sou eternamente grato àqueles que me ajudaram ao longo desse ano e ainda mais aos que me apoiaram a iniciar isso tudo (Maicon obrigado!). Mas nem tudo foi um mar de rosas e alegrias, houveram sim frustrações, decepções (principalmente as amorosas) e tristezas mas claro que a gente tira sempre bons proveitos disso e leva aprendizados para vida.
 

Falo isso principalmente pelos términos de namoros, exatamente no dia que um desses acabou, Victoria nasceu. Victoria é um texto de feeling (uma carta) que fala sobre términos de namoro, e por mais incrível que possa parecer, foi o texto mais lido do blog desde o começo, e nenhum chegou perto. Houveram sonhos frustrados, planos que não deram certo, mas nem por isso a gente morreu e a vida parou. Consegui ser mais forte que tudo, e Me Formei no IFCE depois de uma saga quase eterna. Tive minhas devidas férias nesses meses que se passaram, relaxei, pensei na vida, curti, relaxei, curti mais um pouco e claro escrevi muito.

Ideias não faltaram, e nem vão faltar, eu garanto. O texto O Ônibus nosso de cada dia foi pensado no começo do blog e só agora que saiu. Mas também, a cada esquina que eu dobro nasce um texto diferente, e hoje o blog traz mais de 60 rascunhos, se for um texto por semana, a gente tem texto aí para mais de um ano de ViVendo. Dentre muitos rascunhos estão projetos, muitos ainda antigos, vindos do blog passado, e que só agora ganharam força. Agora vai! 


Se eu pudesse definir esse ano em uma só palavra? Seria: aprendizado. Não falo de HTML ou de edição de imagens, falo de aprender que nem sempre a vida e as coisas correspondem ao que esperamos. Que o mundo fantástico que a gente imagina, é cheio de vilões e armadilhas que a qualquer momento podem te mandar para o inicio do jogo ou mesmo te tirar dele. Aprendi que se a vida te der limões, você pode ir para o sinal e fazer malabares (Leia: Puramente Eu), que não há nada de errado em estar tudo errado. A ser Victoria, e saber esperar que por pior que seja (Leia: A Folha), uma hora você se livra e olha para trás e ri de tudo que passou (Leia: Me livrei).


Fiz bastante amigos, conheci muita gente maneira e sem contar que vivi momentos inesquecíveis por conta do ViVendo. Aqui eu deixo meus agradecimentos a todos que me ajudaram, desde o começo, ou mesmo há pouco tempo, aos que liam os textos assim que eram postados (Obrigado Walber) aos que vão me apoiar num futuro não muito distante (Bora Negresco!), ao pessoal do grupo que sempre contava os babados e (de novo) aos que me ajudaram a dar o primeiro passo, vacilante, e iniciar essa caminhas. Obrigado a todos. O futuro é incerto, onde tudo vai parar? Só Deus sabe, e ainda bem que sabe. Quanto a mim, eu tô fazendo a minha parte, daí para frente, é tudo com Ele.

POSTS SUGERIDOS