24 de abril de 2017


12ª Bienal Internacional do Livro do Ceará - Saldos Finais

Quem acompanhou a bienal do livro notou que essa edição do evento foi bem diferente, em diversos aspectos como no cultural, de programação, tamanho e claro no de preços. O evento mudou bastante esse ano, mas não deixou de trazer coisas que sempre estiveram presentes em edições passadas da nossa querida binal.

AAAAA QUERO MAIS!
Ocupando os três mezaninos, andares, do pavilhão oeste do Centro de Eventos do Ceará o evento trouxe a clássica venda de livros e também literatura, com artistas internacionais como Valter Hugo Mãe, ciência com o astrônomo Marcelo Gleiser e Arte com a presença de shows, atrações de circo e artistas ao longo de todo o evento, entre eles o nativo Maracatu Solar. Uma gama de ambientes e programações diversas também estiveram disponíveis ao longo dos dez dias de evento.

Créditos: Equipe da Bienal
Tentei tirar o máximo da programação e trazer algo aqui para vocês, mas fiquei limitado pelo tempo e pela logística, mas o pouco que aprendi me bastou. Sem duvida a conversa com o Marcelo Gleiser foi o melhor da bienal, acho que de todas, seguido pelo dialogo com Afonso Romano e Marina Colasanti que foi maravilhoso também, apesar de conhecer pouco os seus trabalhos, aprendi verdadeiras lições para a vida.

Créditos: Equipe da Bienal
No saldo de tudo, gastei R$ 80,00 em seis livros e assinei duas revistas (Mundo Estranho e Super Interessante por R$ 36,00/mes AS DUAS!) e comprei mais três. Houveram bienais que eu gastei muito mais. Só que o foco esse ano foi a programação. Ainda que eu tivesse esperado muito pela venda dos livros e poder sentir aquele cheiro de livro novo com pipoca espalhado no ar, relembrar e voltar aos dias incríveis de 2014.

Uma bienal bem LesGo
Tudo foi grandioso e quanto maior a coisa mais chance existe de dar algo errado, houveram falhas sim, a desorganização e confusões no tocante a programação foi nítida, quando atividades eram alocadas de uma sala para outra, quando não havia pontualidade ou mesmo quando houve cancelamento de atividades. Em contrapartida, atividades eram adicionadas aos espaços, mas o frequentador permanecia desavisado dessa nova programação. 

Marcelo Gleiser falou sobre meio ambiente no bate papo com o publico
Créditos: Equipe da Bienal
O evento termina sem muita festa, quando em edições passadas houveram shows como Palavra Cantada (2012) e Gilberto Gil (2014), ficando nessa edição um gostinho de quero mais, no tocante a shows como esses na programação do evento. Saio da bienal sem um livro se quer autografado, mas a bolsa vem cheia de aprendizado de grandes mestres e escritores, tenham certeza disso.

Créditos: Equipe da Bienal
Mas um dos pontos que eu acho importante falar aqui é que nossa bienal do livro é totalmente gratuita, permitindo o acesso democrático de todos a cultura, enquanto estados brasileiros como Rio de Janeiro e São Paulo acontece a venda de ingresso para o evento.Vai ficar saudades da Bienal, mas o que nos resta é esperar, vivendo, não esperando, até que chegue 2018 e com ele venha a próxima Bienal.

POSTS SUGERIDOS