2 de fevereiro de 2017


Estrelas Além do Tempo - O Filme

Estreando hoje e indicado a três Oscars, por melhor filme, melhor atriz coadjuvante e melhor roteiro adaptado, além ganhador de um SGA Awards de melhor elenco, o filme Estrelas Além do Tempo soube ser critico, dramático e cômico sem poupar as verdades que precisavam ser ditas, e que sim, foram ditas. Falou na cara mesmo. O longa é mais que digno de todas indicações e do sucesso de bilheteria que foi, e será. Sem contar que o filme, não poderia ter chegado em melhor hora, né Trump

Mary a esquerda, Katherine no meio e Dorothy.
Essa historia toda veio de um livro, lançado em 2006, a obra escrita por Margot Lee Shetterly que se chama "Hidden figures”, figuras ocultas, mesmo título do filme em inglês, que fala sobre três mulheres negras, vivendo no estado da Virginia, nos EUA, que na época ainda era segregado, e suas devidas, e essenciais, participações no programa espacial americano, que queria colocar um homem, branco, no espaço no rolar corrida espacial. A obra, assim como o filme, vieram para tirar do anonimato essas figuras que ficaram desconhecidas por mais de 50 anos.


As três amigas Katherine G. Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughan (Octavia Spencer, indicada ao Oscar de atriz coadjuvante) e Mary Jackson (Janelle Monáe, que também é cantora") trabalham em uma divisão da NASA, fazendo cálculos, muna época onde os computadores não eram acessíveis. Ao longo do filme seus destinos são separados tratando suas lutas e desafios individualmente.

A trama maior trata da luta dessas mulheres meio a uma sociedade separatista vivendo em um ambiente dominado por homens e suas devidas lutas meio a isso. E mais importante sem fantasiar nada. Apesar de parecer duro as três lidam de forma equilibrada com todas situações, mas também dizem muitas verdades quando preciso, e nem todo mundo é vilão nessa história como Al Harrison (chefe de Katherine vivido por Kevin Costner) que tem papel importante na luta de sua funcionária.


O filme machuca, faz chorar, refletir e rir também. Além de crítico, tem por intenção trazer a tona a história desconhecida dessa mulheres e suas participações na chegada do homem ao espaço e em seguida à lua, conquistas não somente dos EUA mas da humanidade como um todo.


Recomendo o filme para todos os públicos, mas em especial aos que se interessam em lutas sociais de grupos, principalmente relacionados ao apartheid, para quem acha interessante, e luta, por causas feministas por tratar-se de mulheres, e por ultimo quem gosta de filmes que envolvam espaço, física e matemática por tratar-se do programa espacial americano e seus bastidores.

POSTS SUGERIDOS